quinta-feira, 30 de abril de 2009

Doutores do futebol

Acho que já falei nisto uma vez aqui pelo chaparro. Mas vejo muito futebol, e não consigo deixar de voltar a falar numa coisa que cada vez me incomoda mais. Os intelectuais do futebol.
Numa altura em que a epoca está a chegar ao fim, e já que para nós encarnados, para variar, chega ao fim como muito poucos motivos de interesse, resta-me reparar nestas pequenas coisas. Há quem lhe chame o sindrome Luis Freitas Lobo. Que basicamente se resume ao facto de o jornalista desportivo querer deixar de passar uma imagem de bronco, para passar a ter uma imagem de estudioso intelectual. Deixar o tipico blazer de bombazine creme de gravata às bolas, para fato cinzento e gravata colorida.
Sinceramente tenho saudades dos grandes nomes como Gabriel Alves ou Jorge Prestrelo do nosso futebol. Com expressões como o "remate em espiral" ou o "chuta na rapaqueca"! Onde se comentava futebol jogado por jogadores de bigode farfalhudo e cabelos aos caracois.
No inicio até achava graça ao tipo de abordagem destes jornalistas ao jogo. Lembro-me de um mundial ou europeu, em que convidaram Mourinho para comentar um jogo. E ele deixou toda a gente de boca aberta ao falar de transições e de coisas demasiado tecnicas para eu me lembrar passado tanto tempo. Acho que foi ai que se abriram as portas aos Freitas Lobos deste Portugal. Hoje em dia começa-me a cansar esta tentativa de falar de futebol como se fosse uma ciencia. Não é! Futebol é um desporto, uma paixão, e a tentativa de o analizar demasiado, falando nele como se não existissem factores aleatorios está a tirar-lhe a magia.
Porque intelectualizar demasiado as coisas? Porque o pivot defensivo em detrimento do famoso trinco? Qual a diferença de jogar com dois trincos ou com o Duplo Pivot defensivo? A diferença meus amigos é simples. É simples cagança!
A recorrente insistencia em termos como transições, movimentaçoes entre-linhas, medios interiores, ou a moda de atribuir numeros ás posições começa a irritar-me cada vez mais. Ou então repetir até à exaustão a conversa das varias fases do processo ofensivo ou defensivo. Já cheira mal, para além do facto de começar a tornar-se repetitivo.
Ler o Planeta Futebol, torna-se hoje um exercicio de desencriptação para o qual acho precisar da ajuda de Robert Langdon. Acho que a RTP também entendeu isso, e no programa Pontapé de Saida colocou ao lado de Freitas Lobo, João Vieira Pinto. Alguém que fala de futebol, sem tentar parecer o Marcelo Rebelo de Sousa do desporto. Mas não se pense que esta gente também não dá as suas barracas, não meus amigos, não era só o Gabriel Alves. Ouvir o Freitas lobo a falar no "losangulo invertido", é tão divertido como o "la vai Paneira com o seu estilo inconfundivel... ah desculpem, é Veloso".
Mas toda esta conversa da treta, faz-me lembrar um pouco a conversa de politico, muitos termos tecnicos, para dizer muito pouco, e as vezes até para esconder alguns disparates. Sim, porque os Freitas Lobos deste mundo também dizem disparates. Por exmplo quando afirma que o pivot defensivo é o jogador mais importante da equipa. Oh Luis, então o futebol não é um jogo colectivo? Na minha opinião todos os jogadores são igualmente importantes, mas eu não sou o Freitas Lobo.
Hoje em dia, Luis Freitas Lobo, é sinonimo de piadas e anedotas na Blogosfera, basta perder uns minutos a procurar, e são textos e textos sobre como será este senhor na sua vida, no seu dia a dia. Situações como o pressing que faz sobre os filhos, as movimentações da mulher entre-lençois ou as varias fases do processo de arrumação do lar.
O que é demais não presta! Meus senhores, voltem lá a falar de trincos e deixem la os pivots para os dentistas.

7 comentários:

Anónimo disse...

o futebol como na vida as coisas evoluem,mudam.. o futebol é cada vz mmenos aleatorio, claro q ha sempre o factor sorte aliado!mas é tudo estudado tudo ao pormenor!nao vejo mal nenhum em vermos as coisas e percerberms nessa perspectiva!e sim o trinco ou pivot é elemento mais determinante numa equipa!

Anónimo disse...

acho que devia haver um meio termo!nem broncos como os do canalbenfica nem demasiado intelectuais!mas sinceramente prefiro os ultimos... pk gosto muito do jogo!o jogo é cada vez mas tactico, mais metodico.. tu que es apreciador dos italianos atao..porque nao nos transmitirem esses promenores?!saber as coisas pelos nomes acho que nao tem mal nenhum ou tera?se as coisas tem nome devem ser chamadas por tal..tudo com peso e medida claro! nao vao tar a dizer overlapings e essas coisas q ha malta q nao sabe o q é... mas transiçoes, basculisar, entre linhas nao me parecem tao dificeis!alias ate ajuda a intelectualizao do nosso povo, q regra geral é um pouci analfateto(não é uma critica, mas uma realidade!)ideal ideal sera meio de gabriel alves meio de luis freitas lobo
saudaçoes desportivas

Sam disse...

para quem acha q o pivot é o mais importante, experimente a jogar sem guarda redes, sem centrais etc.
e nao me entendam mal, eu n disse que nao se deve explicar o q se passa, apenas sou contra o exagero. e acho q estamos a cair no exagero. sou completamente contra a cagança.
nao concordo que o futebol esteja a deixar de ser aleatorio. sempre foi, sempre será.
e sim, as coisas evoluem, mas muitas evoluem mal....

Anónimo disse...

olha que é cada vez menos aleatorio!a sorte é precisa..da uma boa ajuda.. mas é cmo diz o outro a sorte conquista se!sei do que falo, jogo ha bola ha muitos anos ao contrario e ti, cnheço relativamente bem esse mundo

Sam disse...

em momento algum falei de sorte, mas aleatoriedade é muito mais q sorte. alias isso da sorte tem mt q se lhe diga! por muito metodo, muito treino, muito conhecimento tactico que se tenha, a aleatoriedade esta sempre presente no desporto, no futebol e em todos. nao é preciso jogar a bola para saber isso. existem mil e um factores que podem influenciar o desempenho de um atleta, quanto mais de 11... quando o futebol deixar de ser aleatorio, simplesmente morre, pois perde todo o interesse. o futebol e todo o desporto.
tudo o q tenta viciar a aleatoriedade do futebol simplesmente o mata.

Juliana disse...

De que adianta um treinador "ensaiar" a sua equipa ao pormenor, se não sabe o que a outra equipa "ensaiou"? As situações que não são aleatórias são as de bola parada, ai sim podesse planear tudo (quase tudo, pode sempre aparecer um passarinho á frente da bola etc e tal). Um jogo de futebol é um improviso, reagimos ao outro e o outro reage a nós!
É o que penso...

Anónimo disse...

e depois há bloguistas que gostam de ser do contra e criticar coisas sem jeito nenhum... há o freitas lobo, que tem a sua maneira de falar do futebol, assim como muitos outros têm a maneira deles