sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Esmiucem

Vi ontem pela vez o programa do Gato Fedorento - Esmiuça os Sufrágios.
Não sou daquelas pessoas que deixa de gostar de alguma coisa quando passa a ser consensual . Sabem do que falo? Daquelas pessoas que não gostam de certa musica ou grupo por ser "comercial", não dá o devido valor a certo actor ou filme, porque toda a gente gosta, etc. Eu quando gosto, gosto. Mas também se as coisas deixarem de ter valor, não é por toda a gente gostar que eu vou gostar. O Gato Fedorento tem de facto valor e talento. Mas também não podemos não notar num certo abrandamento no seu humor. E foi isso que notei nos seus ultimos programas. Um certo pudor em abordar determinados assuntos, o que eu acho proibitivo no humor. O humor não pode ter limites nem tabus, e não pode ter por ambição agradar a toda a gente. Pois como já falei em posts e comentarios anteriores, cada um de nós tem o seu tipo de sentido de humor.
Voltando ao novo programa, mais uma vez baseado em programas já existentes de grande qualidade (como de resto a maioria dos programas do Gato) os Gato fazem um bom programa desta vez muito na onda do Daily Show do Jon Stewart. É sem duvida um bom ponto de partida, visto ser esse um programa excepcional. O problema está na falta de uma equipa como a que tem o Daily Show, e na falta de andamento de entrevistador e entrevistados. É sem duvida um tipo de programa que tem tudo para dar certo, e neste momento acho que apenas o Gato Fedorento tem estatuto para o fazer em Portugal. Mas há muita coisa a corrigir.
No Daily Show é assumido que as entrevistas são preparadas, ou seja, os convidados são informados previamente dos assuntos que vão ser abordados. É a unica maneira de ter no programa gente como senadores e até presidentes, pois estes não se podem arriscar a ser achincalhados em directo num programa de grande audiencia. E isso foi feito de certeza pela equipa deste novo programa do Gato. O problema é que aqui os convidados parecem mesmo saber quais as perguntas e a sequencia das perguntas. E levam respostas previamente preparadas pelas suas assessorias. Esse a meu ver é um erro, os convidados devem ser sim informados dos assuntos, mas não das perguntas, isso obrigaria a uma maior espontaniedade por parte dos convidados e daria ao entrevistador maior liberdade. Outro erro que noto, é a simples debitação de perguntas por parte do entrevistador. Uma entrevista deste tipo, não pode ser apenas uma sequencia de perguntas previamente escritas, seguidas de resposta e comentario comico, tem de ser uma conversa informal, de preferencia sem um rumo anunciado.
Acho que o modelo do Daily Show é muito interessante, e é uma boa aposta por parte do Gato. Já que o seu registo continua a ser em pegar em modelos de outros. Assim sendo, que tenham bom gosto e escolham os bons modelos, e é isso que tem sido feito por Ricardo Araujo Pereira e companhia que já o fizeram "copiando" gente genial como os Monty Python entre outros.
Há muito bom assunto para criar um Daily Show tuga, e espero que o programa evolua para além das eleições.
Ao que parece o programa depois das eleições vai passar a ter um apresentador a cada programa, ficando os outros tres elementos para o resto das intervenções. O que não me parece uma grande ideia, visto que o Ricardo e o Zé Diogo, estão uns degraus acima dos outros dois quando se fala de representação (atenção que não falo aqui de telanto humoristico).

4 comentários:

Amarrotada disse...

Concordo. E acho que deveriam arriscar mais, apesar de já terem arriscado, mas fica-se sempre à espera de mais e melhor vindo deles talvez porque eles têm potencial para fazerem muito melhor...

RT disse...

Yup, concordo.
Mas o programa nem uma semana tem e a esmagadora maioria das pessoas não estão habituadas a programas deste género Daily Show, por isso é normal que agora nesta fase inicial haja algumas arestas ainda por limar. No entanto parece-me (só vi os 3 primeiros programas - Socrates, MFL e PP) que de forma geral os Gato Fedorento voltaram melhores do que o que estavam no último programa deles.

Juliana disse...

Eu só vi as entrevistas ao Sr. Engenheiro e á Manela! Gostei bastant. Também me disseram que o Portas e o Loução não tiveram piadinha, não entraram na onda do programa.
Também li á tempo que os Gatos, tencionam depois de acabar o contracto que têm, tornarem-se os seus próprios produtores para poderem fazer o que quizerem sem prazos, logo, sem pressões! Aí penso que voltarão aos bons velhos tempos.

Senator Buscetta disse...

Pois pelo que li, eles estão a fazer isto contra a sua vontade.

Eles não queriam fazer um programa de índole política, muito menos de formato diário. Foi imposição da SIC o que motivou esse desejo de voltar a estar por conta própria e não em formatos "encomendados". Um pouco como acontecia com o Gato Fedorento original. Isto deixa-me satisfeito porque nada como deixá-los trabalhar à sua vontade e por conta própria para nos brindarem com sketches geniais como aqueles que abundam nas saudosas séries Fonseca, Meireles e Barbosa.

Mas sim, concordo que seria muito interessante ter um Daily Show português e que o RAP tem o perfil adequado para tal.