sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Selecção Nacional

Hoje, e depois de tantos anos voltou a jogar a Selecção Nacional. Só com portugueses no onze, Portugal empatou 4-4 com o Chipre.
Apenas vi parte da primeira parte, e por isso não vou tecer comentarios sobre o que aconteceu em campo. Um resultado embaraçoso, num futebol nacional que está muito perto de voltar a bater no fundo. Um futebol comandado por gente que não se sabe quem é ou o que pretende. Um futebol mafioso, com um céu cheio de abutres.
E precisamente num dia em que jogamos só com portugueses, fazemos um resultado embaraçoso como este. Essa falta dos brasileiros em campo, vem mostrar a debilidade da formação no nosso futebol. A falta de defesas direitos, de um medio ofensivo centro ou de opções no ataque.
Após anos e anos a falar disto (pelo menos posso provar-vos com os textos que tenho vindo a escrever no blogue), começo a ver gente a alertar para um problema antigo.
Vi esta semana num programa de TV Carlos Carvalhal e Luis Freitas Lobo a criticar os naturalizados, e a morte da formação em Portugal. E a elogiar o novo Plano Queiros, em vias de acabar se este sair da federação, que prometia resultados.
Vejo também jornalistas a escreverem coisas como esta:

"Clube Portugal. A mensagem passada ao longo dos anos motiva apreensão. A selecção nacional transforma-se uma turma fechada, uma república com direito de admissão reservado. Anuncia-se uma revolução e descobrem-se as mesmas caras. Por ano, surge um Eduardo, um Coentrão, um Sílvio a quebrar o ciclo. Tudo o resto soa a mais do mesmo."

ou

"É um momento preocupante para Portugal. Os sub-21 desiludem, os clubes lusos enviam listas para a Europa sem jogadores da sua formação. Enquanto isso, deixa-se andar, perde-se tempo numa polémica sem rosto, sem acusador assumido."

Timidamente alguem já começa a dizer aquilo que está à vista de todos há tanto tempo. Os abutres estão a matar o desporto em Portugal.

1 comentário:

Banna disse...

Ainda não estão a matar... estão só a preparar para matar... Está quase lá...
E é todos esses adeptos do "viva o Scolari" que agora criticam as opções de apenas Portugueses... Quando são esses Portugueses que bem ou mal suam e dão tudo por tudo pela nossa camisola...
Qualquer dia, voltamos a ficar nos grupos em que estão Franças, Alemanhas, Itálias... e voltamos a deixar de ir ás fases finais... Viva os "abutres" de Portugal como lhes chama o Sam!