quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Post Verde

"A Costa Sudoeste constitui uma das faixas litorais menos afectadas pela intervenção humana e têm características biofísicas e ecológicas únicas no contexto europeu."
"Portugal, e em especial o Alentejo, apresentam um considerável potencial de recursos energéticos renováveis devido, a uma elevada exposição solar, a uma rede hidrográfica relativamente densa e a uma frente marítima que beneficia dos ventos atlânticos."

É com estas frases retiradas do site da Camara Municipal de Odemira, que começo este post. Este post que apenas pretende ser uma questão, que espero que me seja respondida por quem tenha respostas para me dar.
O tema Ambiente é cada vez mais uma bandeira de tudo e de todos, e com muita razão. Mas meus amigos, não basta falar, temos de agir. E a pergunta que faço com este post é: O que realmente está a ser feito no Concelho de Odemira?
OK temos o maior EcoCamping dos arredores. Mas e o que realmente importa? No site do municipio estão referidas apostas a nivel do ambiente, como "o Município de Odemira tem vindo a reforçar a utilização de energias alternativas." E é aqui que eu pergunto a quem me possa responder. O que foi feito?
Olho em volta e não vejo nenhum daqueles moinhos para produção de energia dentro do concelho. Vejo-os assim que passo as fronteiras do concelho mas cá dentro ainda não dei por eles. Gostaria que se existem me dissessem onde estão. E se não existem, porque razão não existem? E em termos de energia solar, também acho que poderiamos apostar muito mais. E não estou a falar a nivel privado. Não seria importante a serem as entidades oficiais a dar o exemplo? Por exemplo, edificios como o tribunal, a camara, o centro de saude, os equipamentos desportivos, o edificio do parque natural, não deveriam ja estar dotados de painéis solares fotovoltaicos e de aquecimento de aguas? Estão eles dotados destes sistemas? Se estão, são essas respostas que procuro com este post.


Noticias relacionadas enviadas para o chaparro:
Radio Pax
Diario Digital
Maré Alta
Energias Renovaveis

4 comentários:

Anónimo disse...

Em termos de aerogeradores para produção de energia a partir do vento, ñ me parece que o regime de ventos existente no Concelho de Odemira seja suficiente para se avançar com tal investimento.
Se virmos, a maioria das empresas agrícolas existentes na faixa litoral podem utilizar estufas por essa mesma razão, o regime de velocidade média dos ventos por este lado é moderada a baixa. Pelo contrário, na zona de Sines e Sagres, o regime de ventos é bastante superior, o que torna o investimento sustentável do ponto de vista económico.
Ruca

Sam disse...

como ja te disse, o argumento do regime de ventos ainda nao me convence a 100%. 1º porque acho que existem sitios no concelho que nada devem a outros lugares onde existem aeorogeradores.
2º porque se essa fosse a principal razao, porque nao avançar para investimento noutras energias renovaveis?
é que não se aposta em nenhuma. ou aposta?

Sam disse...

bem, tenho tido conversas bem interessantes depois deste post. e ja me foram apresentados alguns argumentos validos. tds juntos, começam a conseguir explicar algumas coisas.
1º o eolico, parece mesmo n ser muito viavel. pelo q me foi dito, n existe 1 unico aerogerador dentro do parque natural. Algumas zonas em que o regime de ventos n o permite, como disse o ruca, e o resto das zonas porque há condicionantes ambientais. Parece que os tais parques eolicos n sao assim tao amigos do ambiente. tendo impactes fortissimos nos habitats onde sao instalados. e isso nao faria sentido dentro so parque. estas duas razoes juntas, sim, ja fazem sentido.
o solar seria entao a aposta mais sensata. embora cara. vou continuar a conversar sobre isto. estou a adorar.

Senator Buscetta disse...

Lol... Eu tive uma cadeira de energias renováveis e se estiveres assim tão interessado arranjo-te alguma bibliografia que te explica muitos dos prós e contras destes modos de produção de energia.

A solar fotovoltaica tem outro inconveniente que raramente é referido. A energia gasta na produção destes painéis (e em Portugal, corrijam-me se estiver enganado, não existe uma única fábrica de painéis pelo que a "desculpa" de impulsionar a economia é falsa) é superior à energia que se consegue obter a partir destas durante o seu período de vida. E como se adivinha a fonte de energia para produção de painéis fotovoltaicos será mormente fóssil, pelo que estes não são assim tão amigos da natureza como se quer dar a entender.

Não estou com isto a criticar a utilização das renováveis, muito pelo contrário. Sou apologista deste modo de produção de energia mas... No local certo, com a tecnologia certa e com as certezas de que estamos efectivamente a ser "amigos do ambiente".

Cumps

P.S. e um post sobre a 1ª jornada? xD