segunda-feira, 25 de maio de 2009

Cronica de final de época

Agora que acabou a época (a que realmente interessa, a do Benfica), vamos la fazer aqui um balanço final do nosso Benfica.
Comecemos pelas coisas boas. Maxi Pereira. Para mim o melhor jogador encarnado da época. Regular, forte, aguerrido, esforçado. Tenho a dizer que era um dos meus dois odios de estimação da epoca 07/08, mas foi um jogador que me convenceu este ano. Espero que fique no Benfica por muitos anos. E espero também, que jogadores que não gosto neste momento, me convençam que estou errado em epocas futuras. Tal como fez o super Maxi. Notas positivas também para Miguel Vitor, Katsouranis e Ruben Amorim. Podiam ter feito parte deste grupo Sidnei e Yebda, que começaram a época com grande vigor, mas que com o passar das jornadas vieram a perder influencia.
Nota positiva também para a conquista de um trofeu. A Taça da Liga pode ser um trofeu com pouco prestigio neste momento, mas tenho de o referir. Foi o momento mais simpatico de uma época muito tristonha.
E porque foi esta época tristonha? O que falhou? Bem é disso que vou falar a seguir. Comecemos pelo principio.
Lembro-me de estar nas vesperas do inicio do campeonato, e o plantel ainda contar com cerca de 35 jogadores. Foi o 1º sinal de que Quique chegou completamente as cegas. Essa indifinição quanto as dispensas foi o primeiro ponto negativo da epoca.
Continuando nas dispensas, não posso esquecer as dispensas de Petit, Leo e principalmente Nuno Assis. Os dois primeiros pelo peso que tinham dentro do balneario. Mesmo jogando pouco, jogadores experientes são sempre importantes para um clube com um plantel jovem. E Nuno Assis, digam-me o que disserem, tinha indiscutivelmente lugar no plantel. E tinha dado um jeito monumental.
Depois o sistema tactico. O 4-4-2 que Quique privilegiou no início da época é um sistema amplamente utilizado em Espanha, mas que no nosso futebol, onde a maioria das equipas jogam fechadíssimas, não faz grande sentido. O que é provado olhando para os jogos com as equipas grandes, onde faziamos boas exibições, falhando constantemente com equipas mais pequenas. Sou da opinião que o futebol cada vez se menos se deve acentar num sistema tactico rigido, mas sim na dinamica que cada pedra tem em jogo. E é ai que falha o 4-4-2 de Quique, com uma equipa sem dinamica, pressão, movimentações sem bola nem imaginação. Este claro desconhecimento do futebol portugues foi o pior dos defeitos de Quique, e um erro claro a apontar a quem o escolheu. Episodios como as declarações de Flores em que diz que o Atletico Madrid é um clube superior aos Clube Corrupto na Forma Tentada, ou em que o 3º lugar seria positivo. São claras provas de uma pessoa que não sabe claramente onde está!
Outro problema foi a instabilidade e a indefinição do 11. Em todo o campeonato, só por três vezes o Benfica repetiu o onze inicial. Com constantes experiencias, adaptações e mudanças repentinas e inexplicaveis. Quique promoveu alterações sucessivas, desde as mudanças na baliza, às saídas e entradas de Sidnei, Yebda, Cardozo, Binya etc, que são no minimo questionaveis. Não conseguindo, obviamente, que a equipa desse uma boa resposta colectiva.
No entanto o dado mais preocupante da época, foi a quebra de rendimento da equipa à medida que o tempo ia passando. Desde Janeiro a queda foi a pique, e com excepção do jogo do Dragão, não mais se viu o Benfica empenhado, confiante que, com maior ou menor brilho, se viu no início da época. Não se entende como pode uma equipa regredir tanto, sem que exista uma explicação natural (lesões nem houve muitas, desgaste internacional também não, salários em atraso não há).
Quem sabe este decrescimo pudesse ter sido disfarçado com uma injecção de nova energia em Janeiro. Com a reabertura do mercado, o benfica poderia ter-se reforçado nas posições em que claramente estava em defice. Principalmente na lateral esquerda, penso que teria sido util o reforço. O mercado nacional teria sido suficiente para culmatar essa falha, e jogadores como Cissoko ou Alonso mereciam um esforço para a sua contratação.
Para acabar, o discurso de Flores. Se por um lado sempre foi correcto e educado a falar de arbitragens, e dos seus adversarios. Por outro lado houve uma coisa que me irritou bastante. O seu discurso desculpabilizador. É simpático, bem falante, educado, fala muito, mas diz pouco ou nada sobre a equipa e os jogos. E nunca assume a sua responsabilidade no mau futebol da equipa. Eu também poderia ser treinador do benfica desse modo. A equipa não jogava nada, mas no entanto bastava-me vir semana após semana para as conferencias de imprensa dizer que a equipa não estava a jogar como eu queria. Senhor Flores, a responsabilidade de isso acontecer é sua. A equipa não joga como quer, provavelmente porque não tem competencia para a meter a jogar como quer. Prova disso foram as sucessivas críticas à equipa, individuais ou colectivas, que acabam por cheirar a estratégia de desculpabilização. Os episódios das críticas públicas a Sidnei, Léo, Quim, Cardozo, Balboa, Reyes (este com particular dureza), realçam uma forma de estar que não é de um verdadeiro lider, que nada aprecio, e podem ter estado na base das quebras de rendimento de alguns dos jogadores em causa e da propria equipa.
Bem por agora chega, que o texto ja vai longo, para o ano há mais!

3 comentários:

Banna disse...

Blá blá blá whiskas saquetas...
Blá blá blá blá whiskas saquetas...
Deste-me sono...

O senhor quique, fazia bem era ficar no slb, mas já que náo fica, que chupe o slb até ao tutano...

Viva as Campeões "TetraCampeões" FCPorto

Anónimo disse...

Olha, afinal parece que vai ficar... http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=165489

Este é um assunto em que estou muito dividido.
Por um lado concordo com quase tudo o que disseste. Por outro há outros factores que me levam a pensar "será que se ele ficasse isto melhorava?...":
- a grande maioria dos jogadores (inclusive jogadores importantes como o Luisão) têm dito que aprenderam muito com ele e que só fazia bem ao Benfica se ele continuasse para a próxima época;
- a cláusula de rescisão é cara;
- ainda não ouvi falar em alternativa melhor (nao me venham falar em Scolaris e Jesuses);
- qualquer pessoa, mesmo das mais burras, torna se melhor com a experiencia... vamos ver o que o gajo aprendeu desta época;
- também nós com a experiencia já vimos que trocar de treinador a cada ano não tem nado resultados, vamos, só naquela de experimentar, o que acontece se houver estabilidade.

Reconheço que é um erro gigante apostar nesta estrategia de "tentativa e erro" na escolha de um treinador, mas inflezimente esta direcção (e as anteriores...) não tem conseguido dar ao Benfica aquilo que precisamos mais: uma estratégia sólida, coerente, inteligente e que conduza a vitórias. Há que resolver este problema estrutural.

Cumps

Rui

Sam disse...

como ja disse aqui, sou a favor da estabilidade. mas estabilidade, com as pessoas certas nos lugares certos. e nao acho que o senhor flores seja a pessoa indicada.
A ficar, espero estar redondamente enganado, mas nao acabará a epoca e diremos, "deveria ter saido no inicio da epoca, pq o treinador q entrar n vai preparar a epoca". Espero que nao, prefiro dizer "estava enganado, e quique afinal é bom!". Mas espero mesmo!
Quanto ao que os jogadores dizem, simplesmente nao ligo. é graxa pura tipica de futebolista.
qt a Jesus, nao vejo o porque de o achar pior que Flores. Experiente, ambicioso, com garra, com tomates. Sou sincero, gostava que lhe dessem uma oportunidade, a ele e ao Cajuda. Sou pelos portugueses. Que nao sao em nada, inferiores aos estrangeiros.
Quanto a ser a soluçao mais barata. depende muito dos futuros resultados.... pode-nos sair muito caro esta eventual continuação.