segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Lideres

"O Campeão Voltou!" "Rui acalma a instabilidade!" "Entrou nos Eixos!"

Estes foram alguns dos títulos dos Desportivos de hoje.
Ao longo da pré-época e com todas as quentes novelas deste verão e do que se foi dizendo do Benfica nestes dias, parece uma anedota o que hoje se escreve pelos Jornais.
Nem tanto ao mar, nem tanto à terra!
O Benfica tem grandes problemas neste momento, mas nem era ontem a pior equipa do mundo, nem hoje resolveu todos os seus problemas tornando-se a melhor equipa do mundo.
Fui ver o jogo ao café, coisa que cada vez mais odeio fazer. E foi incrível ver cerca de 50 Benfiquistas, que até ao minuto 74 criticavam tudo o que a equipa fazia e todos os jogadores, e que depois do golo do Grego mudaram completamente a cassete para um típico "agora já ninguém nos pára".
O Campeão voltou realmente, mas voltou com grandes dificuldades. Este resultado não é justo (embora a vitoria o seja), e não espelha em nada o que aconteceu no relvado. Até ao minuto 74 foi um Benfica sem ideias, com grandes problemas de organização, quer defensiva quer ofensivamente. O flanco direito foi uma auto-estrada, e foi sempre por lá que o Estoril causou perigo. Ola John na direita é metade do jogador que é na esquerda.
Ao meu lado estava sentado um rapaz, que dizia que Nelson Semedo tinha mais perfil de Lateral do que de Defesa. Não lhe respondi. Seria chato estar a explicar que o Lateral é um defesa a quem gentilmente nos tinha oferecido mesa para sentar. Mas as suas palavras não deixam de ter algo de correcto. Semedo tem de melhorar toneladas em termos defensivos. Foram muitos os desequilíbrios que causou ao Benfica. Com bola vai indo. Empolga o adepto, parte para cima do defesa, não tem medo. Mas nem sempre é a melhor opção. Tem de entender melhor os tempos de jogo e como aproveitar o seu enorme potencial sem causar desequilíbrios. É miúdo, tem tempo! Vamos dar-lhe esse tempo! Foi considerado o melhor em campo pelo jornal A'Bola. Algo anda mal pela Travessa da Queimada.
Gosto de Fejsa, mesmo, mas não consigo entender a ausência de Samaris. E a sua ausência dá a sensação que Rui Vitoria anda a navegar à vista, sem saber exactamente o que quer para o clube. E principalmente sem ter modelo de jogo.
Se defensivamente o Benfica nunca teve o jogo controlado, Ofensivamente foi um deserto de ideias. O processo ofensivo simplesmente não existiu. E todo o ataque do Benfica até ao golo se limitou ao talento de Jonas e do extraordinário Nico Gaitan. Este sim, de longe, o melhor jogador em campo.
Grande dificuldade na manutenção da possa, na troca de bola, pouca gente a trabalhar para receber, perca de bola sem cobertura ofensiva. Muito pouco se vê do trabalho do treinador neste momento. Dá a sensação que o Benfica começou agora a pré-época.
Depois do golo a pressão desapareceu, os jogadores soltaram-se e a sua qualidade individual veio ao de cima. Mas os processos não apareceram.
Pode ser que mesmo a jogar assim, os resultados vão aparecendo fruto da qualidade individual de alguns jogadores.
Disse a quem via o jogo comigo, que o Benfica de Jesus, num dia normal, em jogos contra este Estoril na Luz, ganharia 9 em 10 jogos. O Benfica de Vitoria, jogando assim, ganharia no máximo 6 em 10. O que quero dizer, é que olho para o Benfica actual, e não vejo nem futebol nem treinador de equipa grande.
Tanto para melhorar...

Sem comentários: